Essa foi uma das constatações que a NOUS SenseMaking (https://noussm.com/), consultoria especializada em Inteligência Competitiva, Estratégia e Advanced Data Analytics, identificou ao realizar o levantamento e análise de dados das mais relevantes fontes de pesquisa sobre a produtividade de soja no Brasil.

Com metodologia própria a equipe de consultores da NOUS SenseMaking (https://noussm.com/), estudaram como a cadeia produtiva se organiza (de ponta a ponta), desde a produção dos insumos (fertilizantes, defensivos e outros), produção (regiões), originadores (armazéns e cooperativas), esmagadores (diversos fins), derivados, distribuição (atacado, varejo) até o consumo (interno e exportação), comparando e analisando sob diversos prismas, os elos da cadeia, seu impacto no mercado, os fatores determinantes no custo de produção, o papel do governo, linhas de financiamento e crédito, mão de obra e tendências para o setor.

Através do estudo, foi possível levantar que a produtividade média de soja no País foi de 3,19 ton/ha plantado, sendo o Sudeste a região com maior índice de produtividade 3,46 ton/ha.

As regiões Sul e Centro Oeste com 3,04 e 3,30 ton/ha respectivamente. O aumento na produtividade de soja se deve aos investimentos realizados ao longo da cadeia produtiva nos últimos anos, através dos programas de governo (Lei Kandir e diversos outros), na liberação de crédito por parte do governo através do BNDES e no crescimento das linhas de financiamento das multinacionais de agroquímicos, fertilizantes e sementes.

A equipe Nous SenseMaking (https://noussm.com/), refinou e analisou também o impactos no mercado trazidos pelos movimentos de M&A (fusões e aquisições). Na análise de alguns agregados, foi possível detectar que a massa salarial nas regiões Norte e Nordeste apresentaram maior média de crescimento 23,9%, enquanto a região Sul apresentou crescimento de 12,8%, a menor entre as regiões.

Essa diferença parece estar vinculada ao aumento do emprego da tecnologia nas lavouras da região Sul. Quanto aos postos de trabalho, a região Centro-Oeste concentra 56% da mão de obra da cadeia produtiva, com crescimento médio de 7,1%, enquanto nas regiões Sul e Sudeste o crescimento do número de empregados com carteira assinada no setor foi de 3,5% e 4,9% respectivamente.

Neste estudo, os consultores puderam avaliar e analisar que o uso de tecnologias e ferramentas como data analytics e big data deverá aumentar consideravelmente nos próximos anos, observando a necessidade de aumento da produtividade para o mercado de biodiesel, principalmente o mercado internacional (aumento do consumo de derivados de soja – bebidas, rações, etc.), e na redução dos custos de produção.

Atualmente a maior parte dos custos de produção são variáveis e estão concentrados em sementes, macro e micronutrientes e defensivos.

O uso de plataformas IoT (internet das coisas) e IA (inteligência artificial), conjuntamente com a tecnologia de blockchain, favorecerão a produtividade de soja e de outras culturas e permitirão maiores movimentações no mercado de fusões e aquisições, concluem os consultores.

Com essas informações é possível para o mercado prever quais áreas demandarão maiores esforços e se antecipar aos concorrentes. Para a Nous-SenseMaking (https://noussm.com), organizações que utiliza de informações, produzem Inteligência Competitiva.