Profissional de Inteligência Competitiva qual o perfil ideal

A busca pelo profissional de Inteligência Competitiva nunca foi tão grande. A preocupação das empresas com a capacidade de lidar com as diversas fontes de informação disponíveis e usá-las estrategicamente e taticamente fazem total sentido agora que ter acesso a elas é algo de relativa simplicidade.

Apesar da facilidade em ter acesso às informações, muitas empresas ainda encontram extrema dificuldade quando o assunto é capital humano. Seja capacitando internamente ou buscando no mercado, existe um déficit de profissionais preparados para atender as demandas imediatas das empresas.

A falta da expertise por parte das empresas em estruturar processos de Inteligência também piora a situação, pois muitas partem do zero quando decidem contratar profissionais com esse objetivo. Apesar disso, muitas empresas possuem redes informais de Inteligência Competitiva operando, o que não nos permite dizer que essas empresas são ignorantes quanto à questão.

Talvez por essas dificuldades, algumas empresas optem pela contratação de consultorias, o que supre em muitas situações as demandas de Inteligência da corporação. Em alguns casos, ainda é interessante que haja um profissional dedicado do lado da empresa intermediando e coordenando a comunicação entre os departamentos clientes e a consultoria, alinhando assim as expectativas e entregas.

Sendo assim, refletir sobre o perfil ideal do profissional de Inteligência Competitiva é de extrema importância para as empresas que desejam ter bons resultados com essas iniciativas internas. Antes de mais nada, é importante definir que é o profissional de IC e o que não é.

Diferentes profissionais, diferentes resultados

Para entender o que é Inteligência Competitiva e seus conceitos, recomendamos que leia este artigo. Entendendo o conceito e os resultados esperados de um processo de Inteligência, podemos afirmar que os seguintes profissionais não estão alinhados com esses propósitos, por atuarem de formas diferentes:

Profissional de Pesquisa de Mercado

Este profissional é aquele que planeja, coordena e realiza pesquisas primárias, abstraindo deles insights importantes para as organizações.

Os resultados levantados por esse profissional podem ser de grande valia para uma estrutura de IC. Dada a natureza de baixa incerteza da pesquisa de mercado, a mesma pode ser importante em alguns processos e questões. Porém, dado ao alto custo de operacionalização, nem sempre é razoável utilizá-la.

Profissional de Business Intelligence

Em geral esse profissional é aquele que lida com certa quantidade de dados internos da organização, buscando analisar resultados de todas as naturezas, a fim de otimizar o desempenho da organização, podendo atuar em diversos departamentos de empresas que possuem alto grau de informatização.

É geralmente por meio de dashboards que tal profissional expressa as informações de suas análises, precisando portanto ter uma certa bagagem tecnológica e de negócios em sua formação ou capacitação.

Como as informações tratadas são, na maioria das vezes, de fatos passados, elas ajudam a compor as informações que alimentam a área de IC, mas não são suficientes para prover insights a respeito das movimentações do mercado.

Cientista de Dados

Termo guarda chuva que representa uma gama de profissionais, iremos considerar o Cientista de Dados aquele profissional que lida com grandes massas de dados de origem interna e externa da organização, utilizando modelos estatísticos para validar hipóteses sobre os dados.

Muitas vezes esse profissional faz uso de análises preditivas para prever curvas de crescimento, de demanda, etc., dando subsídios e segurança na tomada de decisão, gerando planos de ação importantes.

Essas análises são de extrema importância para as organizações, porém em geral respondem mais questões táticas do que estratégicas. Sem considerar que muitas vezes em suas análises o Cientista de Dados não terá informações primárias importantes coletadas com pessoas chave da indústria de atuação de uma determinada empresa. Essas informações não se encontram estruturadas e nem disponíveis abertamente.

É também importante ressaltar que times completos de Inteligência Competitiva possuem Cientistas de Dados como integrantes, pois existe a necessidade de informatizar e automatizar a coleta de dados.

Perfil do Profissional de Inteligência Competitiva

O profissional de Inteligência é aquele que coleta e analisa informações com o objetivo de facilitar a tomada de decisões estratégicas e táticas. Pode estar diretamente envolvido com atividades do planejamento estratégico empresarial. Quando em funções gerenciais, coordena equipes e altera processos para otimização dos resultados de Inteligência.

Sua formação pode ser das mais variadas, não existindo a nível de graduação curso que prepare um profissional para essas atividades. O que notamos é que existem características e questões que permitem que um profissional tenha sucesso na área:

  • Curiosidade
  • Facilidade para aprender
  • Domínio de línguas estrangeiras (Inglês e/ou Espanhol)
  • Gosto pela leitura e escrita
  • Conhecimento sobre negócios
  • Habilidade com tecnologia

Além dessas questões, existem princípios que precisam ser seguidos pelo profissional, especialmente no quesito da ética.

A SCIP (Society of Competitive Intelligence Professionals) possui um código de conduta, com os seguintes tópicos:

  • Continuamente buscar ampliar o reconhecimento e respeito pela profissão
  • Cumprir as leis aplicáveis, domésticas e internacionais
  • Divulgar todas as informações relevantes, incluindo a própria identidade e respectiva organização, antes de todas as entrevistas
  • Respeitar todas as solicitações de confidencialidade das informações
  • Evitar conflitos de interesse, no cumprimento de suas obrigações
  • Fornecer recomendações e conclusões honestas e realistas, no cumprimento de suas obrigações

O que recomendamos ao profissional interessado em trabalhar na área é que busque se especializar com treinamentos ou por meio de uma pós graduação, para que tenha os conhecimentos básicos sobre as formas de atuação e metodologias mais utilizadas.

A leitura é certamente uma das melhoras maneiras de aprender mais sobre área, porém está em boa parte na língua Inglesa, o que reforça a necessidade do domínio de uma segunda língua, pelo menos.

Conclusão

O profissional de Inteligência Competitiva não pode ser confundido com outros que possuem algumas características similares de atuação. Na verdade, muitas vezes esses profissionais, como apontamos acima, ajudam no processo de Inteligência, mas não exploram o tema com profundidade.

É importante que as empresas que estão iniciando suas atividades em Inteligência não confundam as terminologias ou resultados esperados. Por mais trivial que isso possa parecer, iniciativas promissoras deixam de resolver problemas reais em empresas pela confusão do que cada profissional faz, gerando descrédito e desperdício de dinheiro.

Sendo o profissional de Inteligência alguém que zela pela ética profissional, é importante que o mesmo siga as recomendações da SCIP, a fim de preservar seus clientes e os profissionais que também atuam no mercado.