Análise da concorrência O Guia Completo

Entender quem são e fazer uma análise da concorrência pode ser tarefa difícil, especialmente pela falta de prática em buscar essas informações. Afinal, não é uma tarefa que se faz com frequência. Em geral, faz-se quando está traçando ou atualizando um planejamento estratégico.

Com um mundo globalizado, tornou-se imperativo que as empresas não apenas acompanhem os concorrentes locais, mas também os globais. Uma empresa que fabrica e vende laços no Brasil está concorrendo diretamente com um concorrente chinês, por mais distante que estejam.

Além disso, o aumento da oferta de produtos e serviços permite que a substituição seja uma prática comum, em especial em empresas que trabalham com orçamento. O que for prioritário dentro da lista de investimento provavelmente será feito primeiro. Neste caso, cabe a cada empresa gerar urgência para seus produtos e serviços, por meio de técnicas de vendas.

Temos por exemplo uma empresa que precisa comprar veículos, que pode decidir por fazer o aluguel, caso o decisor seja convencido que essa é uma necessidade mais importante e interessante que a aquisição de ativos para a empresa.

Outro exemplo é uma empresa que precisa de uma análise de dados e decida por contratar uma consultoria ao invés de uma ferramenta de análise, pois nesse caso precisaria de contratar um profissional para análises avançadas. Enfim, não faltam exemplos.

Não é apenas por causa dos clientes que as organizações precisam fazer a análise da concorrência. As empresas precisam acompanhar também o que outras de ramos similares estão fazendo, para não perderem fornecedores e até mão de obra, já que os talentos das empresas são monitorados de perto por recrutadores em redes sociais como LinkedIn.

Com todas essas necessidades, não faltam motivos para fazer a análise da concorrência e o seu consecutivo acompanhamento. Antes de mais nada, é importante que você esteja familiarizado com os conceitos de KITs e KIQs, para que aproveite ao máximo esse nosso conteúdo.

Tendo isso absorvido, conheça abaixo como realizar na prática essa atividade.

Quais ferramentas utilizar para análise da concorrência?

Antes de começar uma análise da concorrência é importante saber quais ferramentas teremos à disposição. Isso faz toda diferença no resultado e no tempo que irá levar.

Citaremos aqui algumas pagas e outras gratuitas. As pagas agilizam o processo e dão acesso a informações que muito provavelmente não se teria de forma gratuita, por serem dados trabalhados e gerados por empresas.

1. EMIS

Plataforma de curadoria de dados e informações estratégicas, permite o acompanhamento de milhares de empresas de diversos setores da economia brasileira e mundial.

Além de apresentar o resultado financeiro de empresas que publicam seus balanços, ela também fornece análises financeiras para concessão de crédito, o que permite entender a saúde dos concorrentes de forma rápida.

screenshot EMIS - Análise da concorrência

Em conjunto com as análises das empresas, é possível ter acesso a milhares de relatórios de variados setores, podendo assim fundamentar decisões, entender movimentos e antecipar ações do mercado.

A empresa se baseia em 5 pilares de atuação, que são:

  1. Account Planning
  2. Monitoramento de Concorrentes
  3. Novos Negócios
  4. Identificar oportunidades em diversos setores
  5. Análise de crédito

É uma plataforma paga e acessível a empresas de todos os portes.

2. Plugar

Também uma plataforma, essa com foco em monitoramento de ambiente, é perfeita para acompanhar de perto os concorrentes dos mais variados setores.

Com a seleção dos concorrentes, é possível acompanhar as notícias relevantes do segmento de forma estruturada.

screenshot Plugar - Análise da concorrência

É bem útil também para auxiliar compradores no processo de acompanhamento da oscilação de preços e variações que influenciam a compra.

É uma plataforma paga e acessível a empresas de todos os portes.

3. Serasa Experian

Conhecida por sua análise de crédito, a Serasa Experian é uma interessante ferramenta para quem quer acompanhar a saúde financeira de seus clientes e concorrentes.

Saber o ritmo de protestos, o crédito concedido, tudo isso é importante para derivar insights, que podem ser confirmados pela busca de outras informações de mercado.

screenshot Serasa Experian - Análise da concorrência

Sendo assim, é uma excelente ferramenta para iniciar a análise de um concorrente e a partir dela expandir para outras áreas.

É uma plataforma paga e acessível a empresas de todos os portes.

4. Neoway

Plataforma agregadora de diversas soluções, entre elas análise de crédito, análise financeira, mapeamento de sócios, entre outros, propõem por meio do Big Data reunir diversas fontes para uma análise mais assertiva.

screenshot Neoway - Análise da concorrência

É uma ferramenta bastante visual e de fácil utilização, tendo uma curva de aprendizagem bem curta.

É uma plataforma paga e com foco em grandes empresas.

5. Google

Fazer análise da concorrência sem se aproveitar bem do que o Google tem a oferecer é realmente desperdiçar uma grande ferramenta.

Com a possibilidade de criar gatilhos a serem disparados diariamente quando um tópico é citado, o Google permite que se acompanhe qualquer assunto de qualquer empresa por meio do Google Alerts.

screenshot Google Alerts - Análise da concorrência

Além disso, certa proficiência na busca avançada permite encontrar textos que não ranqueiam nas primeiras páginas, mas que são relevantes para o contexto da análise da concorrência.

É uma ferramenta totalmente gratuita e pode ser o primeiro passo para a estruturação de um processo de monitoramento.

6. LinkedIn

Seu concorrente tem contratado muito? Qual o perfil dos profissionais que ele está contratando? Qual o perfil de mão de obra que ele possui alocada? Todas essas perguntas podem ser respondidas por meio do uso do LinkedIn.

Apesar de ser possível coletar certas informações de maneira gratuita, os perfis pagos são os que permitem maior acesso a dados e graus de conexão mais distantes. Isso quer dizer que você não precisa estar próximo da rede de alguém para visualizar seu perfil.

screenshot LinkedIn - Análise da concorrência

Além disso, o LinkedIn tem se tornado um grande portal para anúncio de novas vagas, o que agrega ainda mais informações sobre a gestão de capital humano nas organizações concorrentes.

Como já dito, é interessante que se pague para ter acesso a mais informações e o uso é adequado a todas as empresas, com maior eficiência para as médias e grandes, pelo uso mais frequente da rede dos profissionais das mesmas.

7. SEMRush

Ferramenta utilizada para marketing digital, é extremamente útil para descobrir qual a estratégia digital de seus concorrentes, por meio da descoberta e acompanhamento de palavras chave.

screenshot SEMrush - Análise da concorrência

Além disso, é possível saber qual o tráfego orgânico e pago estimado para cada site concorrente, podendo assim estimar quanto uma determinada empresa converte em venda do total de visitas que recebe.

É uma ferramenta paga e acessível a empresas de todos tamanhos.

8. Moz Bar

Ferramenta também utilizada para marketing digital, para indicar o peso de um domínio na internet. Alguns fatores que indicam o peso de um domínio são:

  • Citações da marca na internet
  • Links diretos para o site
  • Tráfego orgânico

Ou seja, ao peso do domínio ser alto (ele varia de 1 a 100), você poderá estimar dentre diversos sites, quais possui maior autoridade na internet e consequentemente mais tráfego. Possivelmente aquele que possui mais tráfego também vende mais e por aí vai.

screenshot MozBar - Análise da concorrência

É possível fazer diversas suposições em cima dessas informações.

A ferramenta é gratuita e está disponível para o Google Chrome.

9. SimilarWeb

Ferramenta que mensura o tráfego de diversos sites, indicando quanto de acesso cada um teve, com um aproximação bem próxima da realidade.

Além disso, é possível acompanhar o desempenho e presença digital dos concorrentes dentro da plataforma.

screenshot SimilarWeb - Análise da concorrência

A empresa também disponibiliza gratuitamente uma extensão para ser instalada no navegador, onde com um clique ela lhe diz qual a estimativa de tráfego e outras métricas de marketing de cada site.

A ferramenta é paga e é acessível para média e grandes empresas.

10. Google Trends

Ferramenta que mede o número de buscas de um termo por um determinado período de tempo e que pode ser comparada com outros termos.

É possível fazer ajustes para entender as buscas em regiões geográficas específicas, muito útil para entender o quão a busca por uma empresa aumentou (ou não) no estado de São Paulo, por exemplo.

screenshot Google Trends - Análise da concorrência

A ferramenta é gratuita e fornece alguns insights prontos, dependendo do assunto.

Análise de concorrentes: exemplo sem custo

Considerando que sua empresa está iniciando um processo de monitoramento, vamos citar um passo a passo apenas utilizando o Google Search e Google Alerts, para a análise da concorrência do setor de mineração de criptomoedas.

1. Definir as palavras chave a serem monitoradas

Com conhecimentos básicos sobre o setor, podemos começar a selecionar algumas palavras chave. Selecionamos aquelas que consideramos mais relevantes para acompanharmos as notícias, em português (em inglês também se dominar), mais genéricas:

  1. Criptomoedas
  2. Bitcoin
  3. Dash
  4. Mineração
  5. Ethereum
  6. Blockchain

2. Buscar por concorrentes no Google Search

Abra a aba anônima do seu navegador para que as pesquisas anteriores não atrapalhem na busca por concorrentes.

Comece a buscar por todas as palavras chave rastreadas acima e note as empresas que pagam anúncios no Google AdWords.

screenshot Google Search - Análise da concorrência

Crie uma planilha com as URLs das empresas que encontrar nos anúncios pagos e no resultado orgânico.

Faça busca por palavras chave similares e de cauda longa, por exemplo: “criptomoedas como comprar”. Realize esse processo até que encontre o número desejável de empresas e alimente a planilha.

Inclua as empresas encontradas no Google Alerts, para receber notificação quando o nome delas for publicado na rede.

3. Visite o site e assine as newsletters

Ao finalizar o processo de mapeamento com as palavras chave, entre no site de cada empresa e faça uma análise das ofertas, metodologia de trabalho, etc., e faça anotações na planilha, do que for mais relevante. Não deixe de incluir o valor do Moz Bar e do SimilarWeb.

Antes de sair de cada página, assine a newsletter de cada empresa para acompanhar de perto o que cada uma publica para seus clientes.

4. Acessar o perfil do LinkedIn e outras mídias sociais de relevância

Após ter assinado a newsletter dos concorrentes, acesse o LinkedIn de cada empresa e procure o perfil dos profissionais que trabalham nela. Faça anotações das fortalezas e fraquezas de cada empresa, baseando-se nas experiências e competências de cada membro da equipe.

Boas empresas são compostas por boas equipes, portanto as mais fortes provavelmente serão as que você deverá acompanhar de mais perto a movimentação.

Também visite as outras mídias sociais que sejam relevantes para seu segmento.

5. Refaça o ciclo a cada mês para cada setor acompanhado

Refaça o processo, analisando site a site de cada concorrente a cada mês. Sempre acompanhe o material enviado para você pelo Google Alerts e pelas newsletters, fazendo anotações do que for mais pertinente para sua empresa.

Boas práticas na análise da concorrência

Além de estruturar um processo básico de Inteligência Competitiva e análise da concorrência, você deve seguir algumas boas práticas para que esses esforços não sejam em vão. Citamos abaixo algumas boas práticas a serem adotadas quando se monitora concorrentes:

1. Comparecer a eventos e treinamentos

Vai acontecer um evento ou um treinamento importante no segmento que você está mapeando? Tenha certeza que alguém de sua equipe, capacitado e consciente dos KITs e KIQs da organização, participe.

Nesses eventos sua equipe poderá coletar informações sobre o que as empresas estão fazendo e o que planejam fazer. Como em geral os eventos são de autopromoção, muita informação valiosa acaba sendo revelada para o público.

2. Conversar com pessoas chave

Ainda dentro da lógica dos eventos e treinamentos, converse com pessoas influentes da área. Faça contatos e faça as perguntas corretas.

Boas práticas na análise de concorrentes - Análise da concorrência

Também é válido se conectar com pessoas pelo LinkedIn para acompanhar as movimentações das empresas e conversar sobre assuntos que interessam ao seu levantamento de informações.

3. Ler sobre o segmento

Além das leituras das notícias e novidades de cada concorrente, é de extrema importância que você se aprofunde no assunto de maneira geral, por meio de livros e cursos.

Aumentar o grau de profundidade do seu conhecimento garantirá que você faça melhores cruzamentos de informações, gerando melhores insights para sua empresa.

Sem contar que isso irá fazer com que você melhore sua estratégia de mapeamento, seus KITs e KIQs, pois fará melhores perguntas dentro do processo de Inteligência.

4. Se atentar às tendências globais

Esteja em constante leitura, mesmo que dinâmica. Mapeie 10 segmentos que podem impactar sua indústria (utilizando o passo a passo do Google Alerts) e acompanhe as notícias.

O Blockchain, por exemplo, nasceu com uma finalidade financeira e está impactando os cartórios. Apenas um profissional que está atento às tendências globais pode estimar uma aplicação de novas tecnologias em um contexto totalmente diferente.

5. Ter a prática de realizar anotações

Anotar as observações de forma sistemática e datada é importante para manter registro dos insights e evolução dos concorrentes ao longo do tempo. Pode-se fazer isso em planilhas ou em aplicações como o Evernote.

Além disso, ao anotar você poderá compartilhar com outros membros da equipe as informações que teve acesso. Isso ajudará na construção de um dossiê dos principais concorrentes.

Gerir o conhecimento é tão importante quanto sua criação.

Capacitação em análise da concorrência

Demonstramos acima um exemplo prático, funcional e que agrega valor a qualquer empresa, em especial as que não possuem um processo formalizado de análise da concorrência.

Contanto muitas empresas estão dispostas a investir uma determinada quantia para acompanhar seus concorrentes de maneira mais próxima.

A dificuldade em encontrar profissionais de Inteligência Competitiva com experiência na área é grande, além da existente confusão do mercado quanto aos perfis profissionais e as entregas de cada.

Treinamento - Análise da concorrência

Por esse motivo a capacitação por meio de treinamentos é essencial, pelos motivos:

  • Aprende-se a usar em profundidade as ferramentas contratadas
  • Existe uma bagagem teórica fundamentando as decisões na análise
  • Poupa-se tempo aprendendo durante o processo o que poderia ser aprendido em um treinamento
  • Aprende-se o que há de mais moderno nas práticas de análise da concorrência

Sendo assim, recomendamos fortemente que ao sua empresa decidir contratar uma ferramenta, que ela também some a isso um treinamento sobre as principais técnicas e processos.

Análise da concorrência segundo Porter

Porter foi o criador de várias metodologias para entendimento do cenário de uma empresa. Listamos aqui duas que merecem destaque no mundo da Inteligência Competitiva e análise concorrencial, por suas aplicações práticas e excelentes resultados.

5 Forças de Porter

5 Forças de Porter - Análise da concorrência

Amplamente utilizada nos cenários das consultorias estratégicas, as 5 Forças de Porter permitem visualmente compreender o cenário de uma empresa. As 5 forças são:

  1. Poder de barganha dos fornecedores
  2. Ameaça dos produtos substitutos
  3. Poder de barganha dos clientes
  4. Ameaça de novos entrantes
  5. Rivalidade entre concorrentes

Utilize as informações coletadas no processo citado acima para alimentar e gerar insights sobre as 5 Forças de Porter de sua empresa.

Four Corners Model

O Four Corners ou Quatro Cantos (em tradução direta) é uma ferramenta de análise preditiva criada por Porter para que as empresas busquem entender a direção pela qual os concorrentes estão indo.

O objetivo da ferramenta é entender o que motiva o concorrente a tomar determinada ação, diferente de outras abordagens, que focam na estratégia da própria empresa.

Ao aprofundar nas questões da outra empresa, busca-se levar em consideração a cultura, perfil dos profissionais, tipo de comportamento na tomada de decisão, entre outros fatores. Todos esses pontos pela perspectiva da empresa concorrente!

Ela está divida em 2 tipos:

  • Motivação
  • Ação

Dentro de Motivação temos:

  • Drivers (algo que leva a uma ação)
  • Premissas da gestão

Em Ação temos:

  • Estratégia
  • Capacidades

Four Corners - Análise da concorrência

Essa metodologia é muito poderosa quando validada por uma dinâmica do tipo Business War Games.

Conclusão

Com o passo a passo ensinado para realizar a análise da concorrência e seu acompanhamento, é possível começar a estruturar um processo básico de Inteligência Competitiva em sua empresa.

Pode parecer simples, mas o fluxo informacional gerado por esses alertas será de relevância para sua empresa, especialmente se ela não possui nenhum processo estruturado ainda.

Naturalmente esse processo de análise pode melhorar com o investimento em ferramentas de nível mundial, como as citadas acima.

Recomendamos que sua empresa não fique apenas no que foi ensinado, mas que busque desenvolver novas competências em Inteligência Competitiva por meio de treinamentos, consultorias, outsourcing e dinâmicas.

Caso tenha surgido alguma dúvida ou você queira conhecer mais sobre a análise da concorrência, entre em contato conosco, será um prazer ajudar sua empresa a se posicionar à frente do mercado.